domingo, 20 de abril de 2014

O Cúmulo do absurdo:Obama revolta evangélicos e católicos ao convidar bispo gay para oração de Páscoa da Casa Branca


No twitter,  o bispo gay Robinson revelou-se surpreendido com a escolha de Obama.

O presidente Barack Obama causa polêmica durante o tradicional café da manhã de Páscoa da Casa Branca ao escolher o bispo episcopal  Gene Robinson para fazer a oração de encerramento da solenidade. O bispo Robinson é assumidamente gay.

Entre 150 clérigos cristãos presentes, Obama escolheu o gay.
Todos os anos a Casa Branca convida representantes de diversas denominações para participar de um café da manhã de Páscoa. Em geral, apenas um ou dois religiosos são anunciados como eventuais preletores. Não raro, outros são convidados, antecipadamente, para fazer orações. A oração de encerramento costuma ser da escolha pessoal do presidente. A surpresa é que entre os mais de 150  clérigos presentes Obama tenha escolhido justamente um bispo assumidamente gay e militante das causas LGBT.



A escolha supreendeu até o próprio Robinson que estranhou ter sido escolhido para protagonizar um dos momentos mais visíveis do evento e publicou em seu twitter que foi obrigado a improvisar diante do inesperado convite.

Analistas da Casa Branca concordam que Robinson e os demais convidados foram, de fato,  pegos de surpresa. Até porque, se  o nome de Robinson tivesse sido antecipado, para além das críticas e desagravos, a cerimônia dificilmente contaria com os mesmos convidados presentes. Obama quis mandar um recado aos religiosos da nação. Foi ouvido. 

Para muitos, Obama foi o covarde ladino de sempre. Jamais faria a mesma coisa se tivesse na posição de buscar a sua reeleição.

Nas redes sociais, cristãos evangélicos e católicos repudiam a atitude escarnecedora do presidente.



Com informações de The Washington Times, Twitter e The White House

Genizah:

O Cúmulo do absurdo: Ana Paula Valadão e seus "atos proféticos"











Sobre atos proféticos, Alan Brizotti já escreveu aqui:



Uma das grandes marcas do nosso tempo é o avanço da mediocridade. No âmbito teológico não é diferente. Algumas mentes “ungidas” criaram um híbrido de “unção” junto com pouquíssimo bom senso batizado de “ato profético”. A culpa é de Ezequiel e os ossos secos (Ez. 37) e alguns outros movimentos baseados nessa “inspiração profética”.



Hoje quase tudo é “profético”. É oração profética, louvor profético, oferta profética, abraço profético, raiva profética e até blog profético! O problema é que se tudo é profético, qual é o objeto da profecia? A quem profetizo?



A Bíblia tem um padrão definido: Deus fala a um profeta, e esse profeta fala ao povo! Agora, se todo mundo é profeta, onde está o povo? Com quem Deus está falando? Na Bíblia, quando um profeta “profetizou” a outro profeta – e não ao povo – deu problema: o profeta velho de I Reis 13.



O abracadabra gospel é viciado em fórmulas mágicas, óleos ungidos e apetrechos sagrados. É a veia animista nunca curada. O vocábulo “profético” tem se tornado numa espécie de senha divina para conferir legitimidade aos atos dos líderes. É a versão pós-moderna horripilante dos “Atos dos Paipóstolos”.



Ou como escreveu Augustus Nicodemus:



Acredito que o argumento para “profecias encenadas” ou “atos proféticos” tão em voga hoje nos shows e cultos do movimento gospel e do pentecostalismo sincrético é que, no passado, Deus mandou seus servos transmitirem mensagens ao povo usando objetos e dramatizando a mensagem. Não é difícil achar exemplos disto no Antigo Testamento. Deus mandou que Jeremias atasse canzis (cangas) ao pescoço como símbolo do cativeiro do povo de Israel (Jer 27:2); mandou que comprasse um cinto de linho e o enterrasse às margens do Eufrates até que apodrecesse, como símbolo também da futura deportação dos judeus para a Babilônia (Jer 13:1-11); determinou que ele comprasse uma botija de barro e quebrasse na presença do povo, para simbolizar a mesma coisa (Jer 19:1-11). O Senhor mandou que Isaías andasse nú e descalço por três anos, como símbolo do castigo de Deus contra o Egito e a Etiópia (Is 20:3-4). Há outros exemplos demprofetas que poderiam ser citados.



No Novo Testamento, o único exemplo de um profeta falando a Palavra de Deus e ilustrando-a com um ato simbólico é o do profeta Ágabo, que usando um cinto, amarrou seus próprios pés e mãos para simbolizar a prisão de Paulo (At 21:10-11).



Ao tentarmos entender a “teologia” dos atos proféticos da Bíblia percebemos alguns traços comuns a todas as ocorrências.



    Elas foram determinadas a profetas de Deus, como Isaías e Jeremias, os quais foram levantados por Deus para profetizar sobre o futuro da nação de Israel e a vinda do Messias. Ou seja, tais atos tinham a ver com a história da salvação, o registro dos atos salvadores de Deus na história.


    Estes atos simbólicos ilustravam revelações diretas de Deus para o seu povo através dos profetas. No caso de Ágabo, tratava-se de uma revelação sobre a vida do apóstolo Paulo, homem inspirado por Deus, que o Senhor haveria de usar para escrever a maior parte do Novo Testamento. Portanto, a mensagem de todos aqueles atos proféticos se cumpriu literalmente, como os profetas disseram que haveria de acontecer.


    Sem revelação direta, infalível e inerrante da parte de Deus, não há atos simbólicos. Eles eram ilustrações destas revelações. Uma vez que não temos mais profetas e apóstolos, que eram os canais destas revelações infalíveis, não temos mais estes atos proféticos que acompanhavam ocasionalmente tais revelações.


    Nesta compreensão vai o autor de Hebreus, que relega ao passado aqueles modos de Deus falar ao seu povo. Agora, Deus nos fala pela sua dramatização maior e suprema, a encarnação em Jesus Cristo (Hb 1:1-3).


    Tanto assim, que os únicos atos simbólicos que o Senhor Jesus determinou ao seu povo, e cuja mensagem é fixa e imutável, foi que batizassem os discípulos com água e comessem pão e bebessem vinho em memória dele. Tais atos ilustram e simbolizam nossa união com o Salvador. Fora disto, não encontramos qualquer outra recomendação do uso de atos simbólicos para transmitir a mensagem do Senhor.



Portanto, para mim, estes “atos proféticos” atuais e profecias encenadas nada mais são que uma tentativa inútil – para não ser crítico demais - de imitar os profetas e apóstolos, na mesma linha destes que hoje reivindicam, em vão, serem capazes de fazer a mesma coisa que aqueles fizeram.



quinta-feira, 10 de abril de 2014

História de Crente: Surpresa no Congresso dos Diáconos




por Zé Luís

Foi em um congresso regional de diáconos em São Bernardo do Campo que aconteceu.
Bem cedo, no domingo, ônibus fretados congestionavam a estreita rua daquele bairro de periferia, afim de desembarcar dezenas de irmãos que exerciam essa função em suas igrejas.

Logo no inicio, percebia-se certa movimentação entre os diáconos da igreja onde seria sediado o evento: dois jovens rapazes, aparentemente indigentes, insistiam em ficar sentados, enrolados em seus cobertores, nas proximidades da entrada da igreja. O corpo diaconal tentava removê-los de diversas formas, tentando minimizar o constrangimento diante dos que chegavam: uns oravam, outros repreendiam o demônio, enquanto gritavam em repulsa ao diabo que escolhera enviar seus agentes bem naquele importante dia.

Já dentro da nave do templo, ficou-se sabendo que a muito custo, conseguiram afastar os garotos, chamados de “nóias”, molhando abundantemente o chão onde queriam deitar.

Esse congressos são sempre muito bem organizados, cheios de pompa, cronologicamente marcados: momento da oração, momento das músicas, momentos das homenagens, momento dos estudos. Tudo sincronizado. Naquele ano, havia uma novidade: fora incluso na programação uma peça teatral.

O pastor da igreja que trouxe a peça parecia angustiado quando foi a frente e anunciou o início da apresentação.

O salão da igreja era estreito, mas bem comprido, e lá de trás, os atores iam entrando: cada personagem trazia em suas costas um grande saco de pano, representando seu fardo, e clamavam, até chegar a frente, no palanque onde fica o púlpito, procurando por uma igreja que fosse capaz de aliviar seu fardo. Procuravam a igreja que os aliviasse, mas nada encontravam ao chegar no palco. Entre personagens haviam a prostituta, o homossexual, o viciado em drogas, o adúltero, a adolescente abandonada por engravidar.

Foi quando, para alerta geral dos diáconos daquela igreja, os dois teimosos indigentes entram pelas portas, maltrapilhos, abraçados e chorando muito, clamando em alta voz, como fantasmas que se arrastam em suas correntes. Os diáconos, em um descuido, não os viram entrar:
“Quem é capaz de nos ajudar? Quem será capaz de se importar conosco? Onde deixamos nosso fardo?”
“Tá amarrado!” - gritou uma das irmãs, confortavelmente sentada, no que ele respondeu:
“Tá amarrado, irmã? Você pensa que sou demônio? Vocês se acham preparados para cuidar dos enfermos? Jogaram água no chão para a gente não tivesse onde sentar lá na rua...”

E choravam. Choravam com uma tristeza que eu, que estive lá naquele dia, compartilhei.

Senti-a, pela vergonha de saber o que poderia ser feito, mas não fiz. Chorei por ter que admitir que toda aquela pompa e cordialidade, para momentos onde o Cristo nos preparou, foi denunciado na manhã ensolarada daquele domingo. Estava desconfortavelmente mexido.

Os dois “nóias” eram atores, jovens cristãos da igreja daquele pastor angustiado: naquele dia, muitos se sentiram expostos, e ele ganhou veladamente, antipatias e inimigos. Ele sabia que esse seria o preço a pagar por ter permitido aquela apresentação. E fez o que muitos não querem: pagou o preço.

Hoje, alguns anos depois, de todos os congressos e seminários que pude participar, esse é um dos poucos que ainda assalta minha memória, me levando às lágrimas, redirecionando meu curso de vida, deixando claro o quanto nos iludimos em nossa visão de cristianismo e Reino. Não me lembro dos nomes dos atores nem daquele pastor, mas agradeço a Deus pela vida deles e o chacoalho que me proporcionaram.

Genizah

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Mesmo recebendo críticas de muitos cristãos, o filme Noé parece estar causando um muito positivo 'efeito colateral'...

Filme Noé aumenta leitura da Bíblia em cerca de 300%

Aplicativo e site de leitura da Bíblia registram salto nos acessos de Gênesis





A enxurrada de críticas de segmentos cristãos ao filme ‘Noé’, se devem principalmente por seu afastamento da narrativa bíblica. Mas enquanto os cristãos questionam a “falta de precisão”, parece que toda essa polêmica está fazendo as pessoas lerem mais a Bíblia.

Ao menos é o que indica o aplicativo de leitura da Bíblia mais popular do mundo, o YouVersion. No final de semana de estreia do longa, a leitura da história de Noé em Gênesis 6 aumentou cerca de 300% nos EUA e 245% no restante do planeta.

A equipe responsável pelo aplicativo divulgou essa estatísticas de leitores em sua conta no Twitter, afirmando que foi o maior crescimento na leitura de um trecho específico desde a criação do programa.

Segundo o site Charisma News, o aumento também foi percebido no portal Bible Gateway, bastante popular de leitura da Bíblia online, que registrou um acréscimo de 223% em seus leitores.

Obviamente o número de pessoas que leem a Bíblia em seus aparelhos eletrônicos e pela internet é apenas uma fração dos que leem da maneira convencional, mas essas duas fontes mostram que é inegável a curiosidade sobre a narrativa bíblica.

Benny Perez, pastor da Igreja em South Vegas, disse ao Charisma News, “A maioria dos membros de nossa igreja contam que primeira coisa que fizeram após ver o filme foi abrir suas Bíblias e reler a história.”

Embora muitos cristãos tenham acusado o filme de criar confusão e corromper a Bíblia, parece que pelo menos em parte, está instigando as pessoas a lerem mais a Palavra de Deus.



Fonte: Gospel Prime com informações Christian Today

sábado, 5 de abril de 2014

Vídeo mostra 'renascimento' de rio no deserto do Neguev, em Israel


Fazia anos que Rio Zin permanecia seco e inundação foi comemorada.
Fenômeno costuma ocorrer em épocas de chuva nas montanhas da região



Imagem mostra momento em que água chega perto de cratera, onde população aguarda a inundação (Foto: Reprodução/YouTube/דוד גל)

Um vídeo amador que mostra a inundação de parte do Deserto de Neguev, em Israel, fazendo renascer o Rio Zin, já teve mais de 280 mil acessos desde o dia 14 de março, quando foi publicado no YouTube. Veja o vídeo.

O rio, que fica seco na maior parte do tempo, nasce na Cratera Ramon, que fica a 85 km da cidade de Be'er Sheva, no sul de Israel, passa pelo deserto do Neguev e deságua no Mar Morto, mais ao norte.
Esse tipo de inundação costuma ocorrer em épocas de chuva nas montanhas da região, mas já fazia muitos anos que isso não acontecia, segundo o jornal “Times of Israel”.

O vídeo mostra um grupo de moradores da região que aguardam a chegada da água. Quando ocorre a inundação do leito do rio, é possível ouvir os gritos de comemoração das crianças. O renascimento do rio é anunciado por um forte ruído que pode ser ouvido segundos antes de a água se aproximar.







Ariano Suassuna: Defesa contra a Teoria da Evolução!










quinta-feira, 3 de abril de 2014

O CÚMULO DO ABSURDO: ALUNA DE 5 ANOS É PROIBIDA DE ORAR POR REFEIÇÃO

   
A perseguição religiosa contra cristãos nos Estados Unidos a pretexto da laicidade do estado ganhou um novo capítulo esta semana, quando um supervisor de uma escola infantil repreendeu uma aluna de 5 anos de idade porque ele havia orado por sua refeição durante o intervalo.

O Liberty Institute, entidade que atua na proteção à liberdade religiosa, disponibilizou advogados para a família da aluna, e enviou um comunicado aos diretores da escola de ensino fundamental Carillon, na cidade de Oviedo, Flórida. No documento, a entidade pede que a direção oriente os funcionários a pararem de praticar discriminação religiosa, pois tais gestos violam leis federais e estaduais.

No mês passado, um supervisor do refeitório da escola disse à menina de 5 anos de idade que era errado curvar a cabeça em oração antes que ela iniciasse seu almoço. A menina respondeu que era “bom orar”, e ouviu do supervisor uma resposta negativa: “Não é bom”.

Segundo o pai da menina, Marcos Perez, quando sua filha tentou fazer sua oração apesar da interferência do supervisor, o funcionário interferiu novamente, impedindo-a de curvar sua cabeça. De acordo com o Charisma News, a menina persistiu e cruzou as mãos, dizendo “graça” silenciosamente.

“Esta é uma violação da lei federal e esperamos que o distrito escolar peça desculpas aos Perez e à comunidade, bem como tome medidas para garantir que isso não aconteça de novo”, afirma o documento do Liberty Institute. “É claro que os alunos possam orar na escola!”, acrescentou o advogado da entidade, Jeremy Dys.

Segundo Dys, esse é um direito conquistado há muito tempo: “Como o Supremo Tribunal considerou mais de meio século atrás: os alunos não deixam seus direitos constitucionais à liberdade de expressão no portão da escola”, observou o advogado.

A família, no entanto, optou por retirar a menina da escola e oferecê-la uma educação doméstica: “Principalmente por causa deste incidente, nós exercemos nossa opção como pais de ensinar a nossa filha em casa. Vivemos em um bom distrito escolar, mas não podemos, em sã consciência, enviar nossa filha para uma escola onde sua liberdade religiosa foi comprometida”, afirmou o pai.


Por Tiago Chagas

terça-feira, 1 de abril de 2014

Noé – O filme - Distorções bíblicas


A nova versão do grande filme de Hollywood “Noé” criou uma avalanche de reações dentro e fora da comunidade cristã. Alguns líderes religiosos têm elogiado o notável investimento de  160 milhões dólares no épico bíblico, enquanto outros têm dúvidas sobre a abordagem agressiva da mudança radical   do ambiente destacados ao longo do filme .
noe2No entanto, o que poderia ser mais controverso sobre este filme é sua tentativa de redefinir radicalmente o caráter de Deus e os acontecimentos que levaram à destruição do planeta.
Estivemos muito atentos aos comentários sobre este filme por parte de críticos  cristãos e não-cristãos. De fato, existem alguns elementos bem amarrados no filme Noé que sentimos ser importante  apresentar para você:
  • Anjos caídos de Satanás protegem Noé, enquanto constrói a arca.
  • Para impedir que a Terra seja repovoada, Noé tenta matar a esposa de seu filho que está grávida.
  • Noé é retratado como um homem grosseiro, indiferente e relutante em seguir as instruções de Deus.
  • Matusalém é caracterizado como uma espécie de feiticeiro que guia Noé espiritualmente!
  • Russell Crowe, que interpreta Noé, diz que esta não é uma “história de escola dominical”, e vai desafiar o conhecimento bíblico dos espectadores. O filme também tem sido proibido em alguns países islâmicos porque retrata um profeta.
Seria o  mesmo o que acontece com os esforços do escritor e diretor Darren Aronofsky que para “preencher as lacunas” na história viola a história bíblica e inunda a verdadeira mensagem com muita expressão criativa e especulação?
Fazemos duas recomendações sobre este novo filme. Primeiro, leia a história da Bíblia por si mesmo em Gênesis capítulos 6-8 . Não confie nos produtores de cinema para retratar com precisão a Bíblia, é provável que os realizadores acreditam que o Genesis é uma mera fábula e procuram mudar a sua percepção a respeito de Deus e da Bíblia.
Além disso, a Palavra de Deus não foi dada para o entretenimento, mas para “fazer-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus” (2 Timóteo 3:15). Para encontrar a verdade principal por traz da história, não podemos trocar o que a Bíblia diz por efeitos visuais criativos. A história do dilúvio não é simplesmente para ser dramática, energizante , surpreendente, ou confusa. Ela é profundamente espiritual.
Em segundo lugar, o lançamento deste filme vai gerar muitas oportunidades para discutir a história da Bíblia com pessoas que sabem pouco sobre as Escrituras. Além das incríveis representações visuais e apesar dos elementos distorcidos , é uma história ainda relevante para os nossos dias, pois Cristo disse: “Como foi nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do Homem” (Lucas 17:26) . Assim como houve uma chamada para entrar na arca, tão pacientemente Jesus convida as pessoas a vir a ele. Mas, finalmente vai chegar um momento em que o convite será encerrado e a porta fechada. Sinais indicam que está bem próximo.  (Mateus 24:38) .
A experiência real de Noé é mais do que um conto . O mundo foi destruído por uma inundação e  um dia será destruído pelo fogo (Malaquias 4:1, 3). Você estará pronto ?

No The Noite com Danilo Gentili, pastor Silas Malafaia fala sobre sexualidade, cristianismo e demonstra constrangimento com piada sobre pentecostais; Assista na íntegra


Danilo Gentili recebeu o pastor Silas Malafaia no The Noite e falou sobre diversos assuntos ligados à igreja e sociedade. Bem humorado, Malafaia explicou questões ligadas à sexualidade, homossexualidade e liberdade de opinião, além de assistir, constrangido, a uma piada sobre o pentecostalismo e os milagres instantâneos.

De início, Gentili mostrou uma foto de Edir Macedo e perguntou qual era o relacionamento que o pastor mantinha com o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. Malafaia optou por responder indiretamente, dizendo que achava “fenomenal” o trabalho da Universal em prol das pessoas, apesar de discordar da abordagem usada pela denominação para atrair fiéis, assim como outras igrejas da linha neopentecostal.

Falando sobre a sexualidade, Malafaia disse ter casado virgem, e durante os sete anos de namoro com Elizete, precisou se conter para não descumprir a orientação sobre o sexo. Danilo Gentili questionou então como é o namoro de um casal evangélico, e o pastor respondeu: “Pode apertar, pode beijar…Não tem problema não!”.

Malafaia aproveitou para dizer que “o cristianismo me mostra que relações extra-conjugais são pecado, sejam elas entre heterossexuais ou homossexuais”, e afirmou que “Deus não proíbe as pessoas de serem o que quiserem, apenas mostra as consequências”.

O pastor Malafaia afirmou ainda que se posiciona contra a homossexualidade e todas as requisições de ativistas gays, como o casamento, por uma questão de liberdade de opinião.
O apresentador questionou se a igreja evangélica tem restrições quanto ao uso de preservativos como anticoncepcional, e Malafaia afirmou que não: “Somos contra o controle de natalidade, mas planejamento familiar sim”, explicou.

Numa das ilustrações feitas por Malafaia para explicar que sua maneira enérgica de falar não significa que está bravo, o apresentador aproveitou para emplacar uma piada sobre o ex-presidente Lula. O pastor dizia que nem sempre uma pessoa com grande formação acadêmica tem a mesma eloqüência que uma pessoa de pouca formação: “Aí vem o Zé semi-analfa…”, dizia Silas Malafaia, quando foi interrompido por Gentili: “E vira presidente do Brasil”. Aos risos, o pastor disse que não iria “entrar nessa”.

Ao final, o humorista Murilo Couto interpretou um pastor pregando sobre o “milagre do miojo”, o que levou Malafaia às gargalhadas em alguns momentos, mas deixou o pastor visivelmente constrangido em outros. Quando a apresentação terminou, Gentili agradeceu a presença do pastor e pediu desculpas pelas brincadeiras.

Nas redes sociais, muitos evangélicos criticaram a piada, e Malafaia usou seu Twitter para minimizar a brincadeira: “Querem falar mal do programa só pelo final? E a entrevista toda? Quanta coisa foi esclarecida, vamos ser coerentes, eu não estava em um culto. Quantas pessoas não evangélicas gostaram dos esclarecimentos. Importa que a palavra seja pregada. Vamos ser mais sábios. Tenho que ser honesto, o Danilo me tratou com muita educação. Lembre-se o programa tem uma veia de deboche, importa que o evangelho seja pregado”, ponderou o pastor.






GP

quinta-feira, 27 de março de 2014

Visão Mundial se arrepende e reverte decisão sobre contratar cristãos gays


ONG evangélica pede perdão pelo anúncio controverso feito esta semana

por Jarbas Aragão

Visão Mundial se arrepende e reverte decisão sobre contratar gays


A grande repercussão negativa sobre a decisão do Conselho da Visão Mundial em divulgar que contrataria “cristãos gays” gerou intenso debate esta semana. Após a divulgação da matéria em português no portal Gospel Prime, a assessoria brasileira da Visão Mundial enviou um comunicado: “Reafirmamos que este é um posicionamento da Visão Mundial Estados Unidos e não tem relação com a organização no Brasil”.

Em uma carta aberta divulgada 48 horas depois, o presidente da ONG, Richard Stearns, e Jim Beré, presidente do Conselho da Visão Mundial Estados Unidos, admitiram seu erro e voltaram atrás. Ao explicar os fatores que envolveram a mudança de posição, Stearns esclareceu que entre seus funcionários estão pessoas que pertencem a mais de 50 denominações diferentes, incluindo algumas que já aceitam casamentos do mesmo sexo.
Como um pedido de perdão, Stears e Beré escreveram: “Estamos de coração partido com a dor e confusão que causamos a muitos de nossos amigos que viram nesta decisão uma reversão do nosso forte compromisso com a autoridade bíblica. Pedimos que entenda que nunca foi a intenção do Conselho. Pedimos por seu apoio contínuo”.

Também acrescentam que: “Comprometemo-nos que continuaremos a ouvir os sábios conselhos dos irmãos e irmãs cristãos, e contataremos nossos principais parceiros nas próximas semanas. Enquanto a Visão Mundial Estados Unidos mantém-se firme na visão bíblica do casamento, afirmamos enfaticamente que todas as pessoas, independentemente da sua orientação sexual, são criados por Deus e devem ser amados e tratados com dignidade e respeito”.

Por fim, deixaram claro que  “Oramos para que você continue a se juntar a nós em nossa missão de ser uma parceria internacional dos cristãos cuja missão é seguir nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, trabalhando com os pobres e oprimidos para promover a transformação humana, buscar a justiça, e testemunhar a boa nova do Reino de Deus. ”

Embora não mencionem de quanto foi o prejuízo estimado, denominações inteiras como as Assembleias de Deus dos EUA ameaçaram pedir que seus membros deixassem de contribuir para essa que é considerada a maior ONG cristã do mundo, com uma arrecadação anual que beira um bilhão de dólares.

Fundada na década de 1950, pelo evangélico Bob Pierce, atualmente atende mais de 100 milhões de pessoas em cerca de 100 países. Chegou ao Brasil em 1975, onde desenvolve programas sociais como apadrinhamento de crianças carentes e está engajada em campanhas como a de combate ao trabalho infantil.


Mais informações sobre seu trabalho podem ser obtidas pelo site www.visaomundial.org.br