quinta-feira, 30 de outubro de 2014

“Livre Estou? Uma análise do filme Frozen”


por Simone Quaresma e Flávia Silveira



Quando o filme Frozen foi lançado houve um grande alvoroço! O mais novo filme de princesas logo se tornou o maior sucesso da Disney dos últimos tempos. Crianças se apaixonaram pela princesa Elsa e decoraram as músicas do filme em poucos minutos! “Let it Go” a versão original da música “Livre Estou” ficou entre os 10 hits mais vendidos do iTunes por meses e chegou a ganhar o Oscar de melhor música em 2014.
elsa-frozen-25377-1024x768Por outro lado algumas pessoas começaram a questionar os ensinamentos escondidos no filme, acusando-o de ter o primeiro casal homossexual dos filmes da Disney (Trata-se de Oaken, o vendedor de utensílios domésticos fortão com trejeitos e sua –suposta- família, que estava esperando-o na sauna), que o filme é feminista ao minimizar a importância do príncipe e do par romântico e ao ter duas protagonistas mulheres, ou dizendo que os poderes de Elsa são uma alegoria ao homossexualismo.
Veja os paralelismos entre os poderes de Elsa e o homossexualismo que um leitor do website “Omelete” apontou em um artigo com a crítica do filme:


“Ela nasce com eles, ela não os adquire. Não é oferecida uma explicação sobre isso, ela simplesmente é assim. Ela foi ensinada desde criança que era errado ser assim e que ela tinha que esconder isso de todos. Isso causa bastante ansiedade, medo e insegurança nela. Quando ela é, de fato, exposta, ela é recebida com incompreensão e fúria, o que a força a sair de casa. Primeiramente ela foge e se sente solitária e triste, porém posteriormente se sente livre e abraça inteiramente quem ela é. Let It Go, a música principal do filme, diz: “Não consegui guardar aqui dentro, o céu sabe que eu tentei. Não deixe-os entrar, não deixe-os ver, seja a boa menina que você sempre teve que ser. Esconda, não sinta. Não deixe-os saber… bom, agora eles sabem.” O que espelha perfeitamente o que uma adolescente com medo de que alguém descubra sua sexualidade e tenta ser alguém que não é sentiria. Durante essa música, Elsa aprende a aceitar quem é e proclama seu senso de auto-aceitação, a própria linguagem corporal dela mudando drasticamente do início para o fim. (SPOILER) No final do filme, é o amor da Anna que cura a Elsa. Inclusive, a irmã é a única pessoa que não deixou de amar Elsa ao saber sobre os poderes. No fim, Elsa aprende a estar totalmente em harmonia com os poderes após receber o amor e aceitação de sua família, que era a última coisa que ela queria.”

Preciso confessar que olho essas “teorias da conspiração” com suspeita e relutância, porém precisamos estar alertas para as sutilezas do mundo. Nossas crianças são alvo fácil para aqueles que querem criar uma geração “progressista” e, se nós cristãos, não estivermos alertas, trabalhando minuciosamente na escolha do que está enchendo as cabecinhas de nossos filhos, o mundo entrará com facilidade em nosso lar e em seus coraçõezinhos (que já são inclinados ao pecado por natureza) moldando a sua cosmovisão.

Por isso eu gostaria de chamar todas as mamães das pequenas princesas de gelo a analisar comigo a letra das música “Let it Go” em Inglês e da versão em português “Livre estou” (letra no final do artigo)



Não temos como saber se realmente a menção feita é de se libertar e assumir a homossexualidade. Mas mesmo que não seja esta a questão, o enredo do filme, reforçado pela música, apresenta ensinamentos perniciosos e diabólicos na voz de uma linda princesa que pretende ser modelo para nossas filhas. Vamos ver alguns deles?

O filme parece ignorar que o ser humano nasce com uma natureza totalmente corrompida e má e que existem coisas dentro de nós que precisam ser controladas, transformadas, abandonadas e dominadas. Parece que a mensagem central do filme é: aceite-se da maneira que você é. Não lute para mudar! Liberte-se! Sim, existe algo no seu interior que faz as pessoas sofrerem e causam dano, mas você não tem que lutar contra isso. Você precisa apenas aceitar a maneira como você é e viver a vida. Dá trabalho e é cansativo controlar as coisas dentro de você que causam dano ao próximo. O filme trata a batalha que temos que travar todos os dias contra nós mesmas como algo indesejável.

A Bíblia, no entanto, ensina algo muito diferente. Ela narra a nossa trajetória como uma luta, uma batalha sem trégua contra “os poderes” que nascem conosco e que causam malefícios ao nosso próximo e solapam a santidade de Deus: “Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.” (Gálatas 5.17)

Isso mesmo! Precisamos lutar a vida toda contra as coisas que queremos, pois quando estamos agradando a nós mesmos, não estamos agradando a Deus. Fazer aquilo que queremos, estar livres, dar vazão ao que existe dentro de nós, significa viver em inimizade contra Deus! Afinal, dentro de nós ainda habita o pecado: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.” (Romanos 7.18-25).

Paulo reconhecia seu problema e não fugiu para longe a fim de poder viver sua vida da maneira que queria. Ele travava uma luta de vida e morte contra o pecado: “Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue” (Hebreus 12.4). A liberdade que a Bíblia ensina é bem diferente da apregoada no filme! A liberdade que nos é proposta é a liberdade do pecado, para sermos escravos de Cristo!

Outro trecho da música, espelhando o filme, diz que “deixei uma vida para trás, mas estou aliviada demais para lamentar”. Para Elza não importava o que havia sido negligenciado. O que ela queria é que sua luta acabasse. Sua irmã é deixada para trás, mas isso não importa, ela está aliviada demais e isso é o que conta! Não te parece um discurso bem batido em nossos dias, mas agora com ares de encanto? “Não agüento mais a prisão deste casamento, estou sofrendo. Sei que vou deixar quem amo para trás, sei que meus filhos vão sofrer, mas estou aliviada demais para pensar nisso.” O princípio por trás da atitude de Elza é exatamente este. Minha dor, meu sofrimento. Os outros? Estou aliviada demais para lamentar!

Outro tópico bem frisado é que você não deve ser a boa menina que todos querem, mas deve seguir seus instintos. Segundo a Bíblia, nem uma coisa nem outra! Esta “boa menina” reflete aquilo que esperam de mim; os meus instintos representam o pecado contra o qual luto diariamente. Minha guerra constante deve ser a de buscar o que Deus espera que eu seja, aquilo que Ele mesmo revelou em Sua santa Palavra. Aquilo que é descrito como pecado, deve ser rapidamente abandonado. A opção apresentada no filme de forma sutil é: “seja falsa, escondendo quem você realmente é ou deixe tudo e todos pra lá e dê vazão a que está no seu interior!”

Me chamou atenção também a forma como os pais são retratados. Embora os poderes que ela tinha causassem situações até mesmo perigosas, parece que os pais são retratados como inimigos por desejarem que ela aprenda a se controlar! Uau! Já pensou se nossos filhos resolvem adotar esta teoria? “Não me importa o que vão falar”, “não deixe que eles saibam”: ambas as frases se referem aos pais!

Elza dá extremo valor a ter liberdade, testar limites, diz que não se arrepende do que ficou para trás. Verdades duras e perigosas se confrontadas com a Bíblia. E finalmente depois que Elza fez o que sempre quis fazer, ela ficou mais madura, mais linda, mais feliz. Nada tão contrário ao Evangelho. Nesta história, ir contra tudo e contra todos, desobedecer aos pais e não se conter, não se dominar, não traz conseqüências ruins, pelo contrário, abre as portas para uma nova vida. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois tudo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6.7) Esta é a verdade absoluta. O que passa disso é mentira, é zombar de Deus. Não dá para acharmos que está tudo bem com um desenho que ensina nossos filhos a fazer o que der na telha, e que não só não colherão frutos amargos pela desobediência, mas serão, inclusive, mais felizes!

Me preocupa o fato de que este e outros desenhos contendo ensinamentos tão ruins quanto, ou até piores, sejam vistos repetidamente por nossas crianças. Um filme assim, assistido uma vez não representa grande perigo. Mas vivemos dias em que os desenhos são babás de nossos filhos, que os assistem vez após vez, até decorarem suas falas. Quanto tempo temos gasto ensinando o que é certo, em contrapartida aos ensinamentos mundanos e corrompidos que a televisão ensina aos nossos filhos? Será que esta é uma luta desigual na sua casa? Será que mais tempo é gasto ensinando o erro? Nada mais didaticamente prejudicial. Não se ensina o errado para depois mostrar o certo! E quando se trata de ensinamentos que podem moldar a mente e o coração de nossos filhos então…quando se trata de verdades eternas…

Que possamos ficar atentas e ajudar a guardar a mente e o coração de nossos filhos da ideologia do mundo. Eles já têm combustível suficiente dentro de si para abraçar e seguir o pecado original. Não precisam de “ajuda”.

A Bíblia nos exorta a ensiná-los na mais tenra idade. Isso significa que eles são capazes de aprender e de reter tanto o ensino que gera a vida quanto aquele que traz morte: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Provérbios 22.6) A palavra criança se refere a infantes! “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.” (Provérbios 13.24). CEDO é o tempo de ensinarmos nossos filhos a lutar contra si mesmos, a reconhecer suas fraquezas e a não fazerem o que está dentro deles, mas voltarem seus olhos para a Palavra de Deus, moldando seu comportamento, seu coração e sua vida à vontade LIBERTADORA do nosso Deus. Devemos ensiná-los o quanto antes a não se amoldar a ideologia miserável deste mundo, mas a se transformarem pela renovação de suas mentes através da Palavra. Só assim, (não importa o que a Disney diga), só assim eles poderão experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS!

2014-10-24
Abaixo a letra das duas versões da Música:

Let it Go (Tradução do original)Esta noite a neve branca cai na montanha
E nem sequer uma pegada visivel
Um reino de isolamento
E parece que eu sou a rainhaO vento está uivando
Como essa tempestade rodopia dentro de mim
Não consegui segurá-la
O céu sabe que eu tentoNão os deixe entrar, não os deixe ver
Seja a boa menina que você sempre precisou ser
Esconda, não sinta, não deixe que eles saibam
Bem, agora eles já sabemColoque para fora,
Coloque para fora,
Não posso suportar mais
Coloque para fora,
Coloque para fora,
Dou as costas e bato a porta
E aqui estou
E aqui eu vou ficar
Coloque para fora,
Coloque para fora,
O frio nunca me incomodou mesmo

É engraçado como um pouco de distância
Faz tudo parecer pequeno
E os medos que uma vez me controlaram
Não chegam nem perto de mim
Bem aqui no ar frio que eu finalmente posso respirar
Eu sei que deixei uma vida para trás
Mas estou aliviada demais para lamentar

Coloque para fora,
Coloque para fora,
Não posso suportar mais

Coloque para fora,
Coloque para fora,
Dou as costas e bato a porta

E aqui estou
E aqui eu vou ficar
Coloque para fora,
Coloque para fora,
O frio nunca me incomodou mesmo

Uma vida congelante foi a que eu escolhi
Você não vai me encontrar,
O passado está atrás de mim
Enterrado na neve

Coloque para fora,
Coloque para fora,
Não posso suportar mais
Coloque para fora,
Coloque para fora,
Dou as costas e bato a porta

E aqui estou
E aqui eu vou ficar
Coloque para fora,
Coloque para fora,
O frio nunca me incomodou mesmo



Mulheres Piedosas

Livre Estou (Versão do filme em Português) – Levemente diferente da versão original, mas trazendo a mesma mensagemA neve branca brilhando no chão
Sem pegadas pra seguir
Um reino de isolamento e a rainha está aqui
A tempestade vem chegando e já não sei
Não consegui conter, bem que eu tenteiNão podem vir, não podem ver
Sempre a boa menina deve ser
Encobrir, não sentir, nunca saberão
Mas agora vãoLivre estou,
livre estou,
Não posso mais segurar
Livre estou,
livre estou,
Eu saí pra não voltar
Não me importa o que vão falar
Tempestade vem
O frio não vai mesmo me incomodarDe longe tudo muda
Parece ser bem menor
Os medos que me controlavam
Não vejo ao meu redor
É hora de experimentar
Os meu limites vou testar
A liberdade veio enfim
Pra mimLivre estou,
livre estou
Com o céu e o vento andar
Livre estou,
livre estou,
Não vão me ver chorar
Aqui estou eu e vou ficar
Tempestade vemO meu poder envolve o ar e vai ao chão
Da minha alma flui em fractais de gelo em profusão
Um pensamento se transforma em cristais
Não vou me arrepender do que ficou pra trásLivre estou,
livre estou
Como o sol vou me levantar
Livre estou,
livre estou
É tempo de mudarAqui estou eu
Vendo a luz brilhar
Tempestade vem
O frio não vai mesmo me incomodarLivre estou,
livre estou
Como o sol vou me levantar
Livre estou,
livre estou
É tempo de mudar

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Pesquisa mostra as heresias mais comuns nas igrejas modernas




Levantamento da Lifeway mostra que evangélicos não conhecem doutrinas básicas do cristianismo 

 Pesquisa mostra que evangélicos não conhecem doutrinas básicas



por Jarbas Aragão
 
 

 


A mais recente pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas LifeWay é intitulada “Americanos acreditam no céu, inferno e em algumas heresias”. Encomendada pela Ligonier Ministries e publicada ontem (28), recebeu destaque em vários sites de conteúdo evangélico. 
 
O material revela que muitos evangélicos americanos têm opiniões “heterodoxas” sobre a Trindade, a salvação, e outras doutrinas. Segundo os padrões dos conselhos mais importantes da Igreja primitiva, essas posturas seriam consideradas heréticas.

Os pesquisadores fizeram 43 perguntas sobre fé, abordando temas como pecado, salvação, Bíblia e vida após a morte. A pesquisa feita com 3 mil pessoas tem uma margem de erro de 1,8% e seu nível de confiança é de 95%.

As principais conclusões do estudo são que embora a imensa maioria – 90% dos evangélicos e 75% dos católicos – acredite que o céu é um lugar real, cerca de 19% dos evangélicos (67% dos católicos) acreditam que existem outros caminhos para chegar lá que não seja através da fé em Jesus.

Por outro lado, 55% dos evangélicos dizem que o inferno é um lugar real, contra 66% dos católicos. Na média, os americanos não parecem muito preocupados com o pecado ou em irem para o inferno depois de morrer. Dois terços (67%) dizem que a maioria das pessoas são basicamente boas, apesar de todos os seus pecados. Apenas 18% acredita que até mesmo pequenos pecados podem resultar em condenação eterna, enquanto pouco mais da metade (55%) dizem que Deus tem “um lado irado”.

A importância desse tipo de levantamento é a grande influência que a igreja americana tem sobre a maioria das igrejas do mundo ocidental. Segundo Stephen Nichols, diretor acadêmico da Ligonier, os dados mostram “um nível significativo de confusão teológica”. Muitos evangélicos não têm visões em harmonia com a Bíblia sobre Deus ou os seres humanos, especialmente em questões de salvação e do Espírito Santo, acrescentou.

Alguns pontos têm variação expressiva dependendo da tradição teológica a que a pessoa entrevistada pertence. Porém, em algumas questões os resultados surpreendem. Em alguns casos, o problema parece ser mais a falta de informação.

Menos da metade (48%) acredita que a Bíblia é a Palavra de Deus, sendo que 50% dos evangélicos e 49% dos católicos dizem que ela é “útil, mas não uma verdade literal”.
visao teologica sobre a biblia Pesquisa mostra as heresias mais comuns nas igrejas modernas
Ao mesmo tempo, por exemplo, apenas 6% dos evangélicos acham que o “Livro de Mórmon” é uma revelação de Deus, enquanto outros 18% “não tem certeza e acham que pode ser”. Possivelmente desconhecem que os mórmons são uma seita e que, para eles, Jesus e o Diabo são irmãos, filhos do Deus-pai, que vive em outro planeta.
Perguntados sobre a natureza de Jesus, um terço (31%) disse que Deus, o Pai é mais divino do que Jesus, enquanto 9% não tinham certeza. Além disso, 27% dizem que Jesus foi a primeira criação de Deus, e outros 11% não tinham certeza.
tabela jesus e deus Pesquisa mostra as heresias mais comuns nas igrejas modernas
No segundo e terceiro século, proeminentes teólogos e líderes da igreja debateram por muito tempo sobre a natureza. O concílio ecumênico da Igreja em Nicéia, no ano 325, e o concílio ecumênico de Constantinopla, em 381 declararam sua rejeição a qualquer ensinamento que defendia que Jesus não era um com o pai, da mesma substância. Logo, tratar Jesus como um ser criado e menor que Deus-Pai não é um ensinamento cristão, embora permaneça sendo ensinado por seitas como os mórmons e os Testemunhas de Jeová.

Na mesma época, concílios ecumêmicos também esclareceram que a Trindade era composta por Pai, Filho e Espírito Santo, sem diferença de essência ou hierarquia entre eles. Quando questionados sobre a pessoa do Espírito Santo, os evangélicos de 2014 revelam posturas ainda problemáticas. Mais da metade (58%) disse que o Espírito Santo é uma força, não uma pessoa. Enquando 7% disse não ter certeza. Sobre o Espírito Santo ser menos divino do que Deus Pai e Jesus, 18% concordaram e o mesmo percentual respondeu “não sei”. Já dois terços dos católicos (75%) responderam acreditar que o Espírito Santo é apenas uma “força divina”.
tabela espirito santo Pesquisa mostra as heresias mais comuns nas igrejas modernas
A natureza humana e a salvação são outras áreas que mostram confusão nas respostas. Dois em cada três evangélicos (71%) dizem que uma pessoa será salva se buscar a Deus primeiro, e depois Deus responde com sua graça. Uma percentagem semelhante (67%) disse que as pessoas têm a capacidade de se converter a Deus apenas por sua própria iniciativa. Ao mesmo tempo, mais da metade (56%) disse que as pessoas têm de contribuir para a sua própria salvação.
tabela graca Pesquisa mostra as heresias mais comuns nas igrejas modernas
Essa parece ser a questão que ainda suscita mais debate. A tradição mais comum entre católicos romanos, ortodoxos e aguns ramos protestantes defende que os seres humanos cooperam com a graça de Deus na salvação. O ensinamento cristão histórico em todos os ramos é que qualquer ação por parte do homem será apenas uma resposta à obra do Espírito de Deus.

Ao serem perguntados sobre a igreja local, 52% acreditam que não há necessidade de pertenceram a uma igreja, pois buscar a Deus sozinho tem o mesmo valor que a adoração comunitária. Ao mesmo tempo, 56% disseram crer que o sermão do pastor não tem “qualquer autoridade” sobre eles. Quarenta e cinco por cento dos entrevistados acredita que tem o direito de interpretar as Escrituras como quiserem.

Teólogos comentam

A revista Christianity Today consultou teólogos sobre os resultados da pesquisa. Para Nichols, a Ligonier apenas está verificando o que muitos pastores já sabem: as pessoas não conhecem sua fé a fundo.

Timothy Larsen, professor do pensamento cristão no Wheaton College, afirma que isso só poderá ser revertido com mais discipulado bíblico. John Stackhouse, professor de teologia no Regent College, em Vancouver, é enfático: “Um sermão no domingo e um estudo bíblico simples durante a semana não é suficiente para informar e transformar a mente das pessoas para seguirem a teologia cristã ortodoxa.”

Ele acredita que é preciso mais empenho dos que pregam para deixar claro o que a Bíblia ensina sobre essas questões-chaves. Opinião parecida tem Beth Felker Jones, professora de Teologia no Wheaton College: “Os líderes da Igreja precisam ser capazes de ensinar a verdade da fé com clareza e precisão, e nós precisamos ser capazes de mostrar às pessoas por que isso é importante para as nossas vidas.”

Howard Snyder, ex-professor de em vários seminários conhecidos, enfatiza que a doutrina da Trindade não é um “conceito teológico abstrato, mas uma verdade cristã fundamental que nos informa sobre o Deus que adoramos, que somos como seres humanos, e toda a criação”.

Na análise do diretor da LifeWay, Ed Stetzer, o evangélico médio “gosta de acreditar em um tipo de Deus quase cristão, com doutrinas incompletas”.

Padre italiano pedófilo se enforca na sacristia



(Foto: AFP) 
(Foto: AFP)

Um padre italiano que admitiu ter abusado de uma adolescente se enforcou nesta terça-feira na sacristia de sua igreja, pouco antes que o bispo anunciasse oficialmente a sua expulsão da paróquia, informou a diocese de Trieste (nordeste).
Em uma conversa no sábado com seu bispo, monsenhor Giampaolo Crepaldi, o sacerdote de 48 anos admitiu ter cometido ações graves contra uma moça de 13 anos e solicitou dois dias para preparar uma carta pedindo perdão a Deus, à Igreja e à vítima.
Quando na terça-feira o bispo chegou para informar oficialmente sobre sua expulsão e da abertura de um procedimento canônico contra ele, o encontrou enforcado na sacristia.


Francisco pede luta
 O papa Francisco se reuniu nesta terça-feira com representantes de organizações de base dos cinco continentes e os encorajou na luta para que todos as pessoas tenham acesso "à terra, moradia decente e trabalho digno".

Durante o Encontro Mundial dos Movimentos Populares, que reúne até amanhã, em Roma, 200 representantes de uma centena de organizações de base de todo o mundo para analisar as causas da exclusão social, o papa lamentou que pelo fato de falar destes três conceitos possa ser tachado de "comunista", apesar de lembrar que "o amor aos pobres está no centro do Evangelho" e que "não responde a nenhuma ideologia", conforme informou a "Rádio Vaticana".

Após este segundo dia dedicado ao pensamento do papa Francisco, o Encontro Mundial dos Movimentos Populares continuará trabalhando dividido em três subgrupos - trabalho, terra e moradia - a fim de articular e facilitar os debates e as análises.


terça-feira, 28 de outubro de 2014

O Cúmulo do Absurdo: Não acredita em teoria da evolução e Big Bang? O papa tem um recado para você


Papa Francisco saúda a multidão ao chegar à Praça de São Pedro, no Vaticano, em 22 de outubro de 2014 
Papa Francisco saúda a multidão ao chegar à Praça de São Pedro, no Vaticano, em 22 de outubro de 2014

Discussão antiga entre religiosos e estudiosos, a origem humana foi temática abordada pelo papa Francisco. E o pontífice surpreendeu ao afirmar que o Big Bang e a teoria da evolução não só existem como são essenciais para entender Deus.

"Quando lemos sobre a Criação no Gênesis, corremos o risco de imaginar que Deus é um mágico e que tem dons mágicos para fazer qualquer coisa, mas isso não é assim. O Big Bang não contradiz a intervenção criadora, mas a exige", afirmou o papa.

O pontífice ainda afirmou que a criação do mundo "não é obra do caos, mas sim um derivado de um princípio supremo que cria por amor". Para Francisco, o trabalho de Deus deu ao homem a liberdade e, com ela, a teoria da evolução se desenvolve. Para ele, essa mistura dos conceitos é essencial para o futuro da humanidade.

"Ao cientista, portanto, sobretudo ao cientista cristão, corresponde a atitude de interrogar-se sobre o futuro da humanidade e da Terra; de construir um mundo humano para todas as pessoas e não para um grupo ou uma classe de privilegiados", concluiu ele.


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Exemplo de pastor!

Um juiz de 57 anos, renunciou ao seu cargo na Carolina do Norte. Gilbert Breedlove, que também é pastor ordenado, trabalhava há 24 como juiz para o Condado de Swain. Entre suas funções de juiz ele realizava casamentos no fórum. Por causa da nova lei do Estado, seria obrigado a realizar casamentos de pessoas do mesmo sexo a partir deste mês. Como isso vai contra sua fé, decidiu abandonar a função.

“Era a minha única opção… a Bíblia inteira ensina que casamento é entre um homem e uma mulher. Qualquer outro tipo de atividade sexual é definida como a fornicação, não casamento”, declarou Breedlove à imprensa.

Ainda sem ter idade para se aposentar, abriu mão de sua principal fonte de renda e passará a viver com um salário oferecido por sua igreja, o qual é bem inferior. Ele afirmou que entende claramente as consequências de sua decisão, mas sabe estar fazendo o que é certo, pois Deus é mais importante em sua vida.


Golpelprime - Com informações Usa Today e News Record

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

O Cúmulo do Absurdo: Dilma escolhe Jean Wyllys para representar juventude brasileira

Jean Wyllys já tem no gatilho Projeto de Lei para profissionalização da prostituição, liberação das drogas , cirurgia de mudança de sexo para pré-adolescentes pelo SUS e descriminalização do aborto. É árduo defensor da distribuição do "Kit Gay" nas escolas.
 
A candidata pelo Partido dos Trabalhadores Dilma Roussef escolheu o ex-bbb e deputado-federal Jean Wyllys para representar  a juventude brasileira. O ex-bbb participou de um evento de Dilma em São Paulo, foi um dos poucos a discursar e a missão é conseguir votos da juventude.
Jean Wyllys traz em seu currículo de deputado uma série de defesas contrárias à família e ao que brasileiro comum defende. É dele o projeto de Lei João Nery que prescreve a cirurgia de mudança de sexo feita pelo SUS, inclusive para adolescentes sem a necessidade dos pais autorizarem. 

Dilma e Jean Wyllys.
Dilma e Jean Wyllys.
Wyllys também tem Projeto de Lei que pede a aceleração do processo de reconhecimento da prostituição como profissão e PL para a  legalização das drogas. É um árduo defensor da distribuição do  “Kit Gay” em  escolas públicas. A liberação do aborto também não poderia estar de fora da luta do deputado.
O ex-bbb costuma dizer que começou sua trajetória como militante da Pastoral da Juventude (PJ) e costuma chamar em seus discursos quem discorda de seu pensamento de “fundamentalista religioso”. Ao Papa Emérito Bento XVI chamou em artigo na Carta Capital de genocida em potencial.
A militância  do deputado se adequa à ideologia do PT e parece representar muito bem a juventude da sigla. É o mais nobre representante da linha auxiliar do PT.



Fonte 

O deputado Jean Wyllys depois de ser escolhido postou uma mensagem a todos os cristãos, católicos e fundamentalistas. Disse ele.  " Aceita que dói menos" disse o deputado em sua rede social ao se escolhido como representante da juventude no Brasil. É esse homem que vai representar nossa juventude???? Precisa de mais motivos para não votar na Dilma!!! Marisa Lobo quem postou.
 
 
 
 
 
 
 

Banda evangélica enfurece fãs brasileiros com capa de CD polêmica






A banda Cristã Payable On Death (P.O.D.) anunciou ontem seu novo CD e deixou os fãs brasileiros furiosos com a capa deste novo lançamento deles pelo tema católico da arte. Na página da banda, aonde eles anunciaram o lançamento, se vê centenas de comentários de fãs brasileiros evangélicos enfurecidos pela arte do novo álbum.

A banda já esteve envolvida em polêmicas por suas artes de capa de seus álbuns outras vezes, no final da década de 90 e início dos anos 2000, quando as capas de seus primeiro e terceiro álbuns foram recusadas por lojas especializadas para o público cristão nos EUA por pintura envolvendo nudez e por aparecer uma figura hindu, e lá nos EUA tb deu polêmica o fato de eles terem cantado com o cantor judeu Matisyahu. Mas desta vez parece que nos EUA não houve polêmica, já no Brasil os fãs da banda se mostraram decepcionados e revoltados, alguns até falando em boicote à banda por causa desta nova capa.

Não há ainda explicação oficial da banda sobre a nova arte, porém fãs alocados nos EUA explicam que a capa é uma alusão a uma região de Chicago (alguns dizem, outros que é de San Diego), aonde vivem muitos mexicanos, e a imagem da capa se refere a essa região, também ao que eles chamam de "chicano style", que é algo relacionado à região aonde esta imagem fica e forma a identidade do lugar. Dizem eles que a capa não é uma informação religiosa, apesar dos artefatos religiosos nela, mas sim uma informação geográfica, pelo local que ela está e pelo estilo que ela representa. 

Bom, isso só vamos ter confirmado ou desmentido com a própria banda, mas, independente do significado da capa, ao que parece não houve rejeição pelo público dos EUA à nova capa, somente os brasileiros parecem ter se chocado.

E por que este choque dos brasileiros com o uso de imagens católicas, ou qualquer aproximação com os irmãos católicos por uma banda ou qualquer um que atinge o público evangélico? Segue uma explicação do porque os evangélicos brasileiros têm tanta aversão a qualquer envolvimento com o catolicismo:
http://thiagosurian.wordpress.com/…/evangelicos-e-as-image…/
Atualização:

Marcos Curiel, guitarrista da banda, disse em seu Twitter:
Galera, [a capa] é sobre beleza da arte e cultura. Não é sobre religião. É sobre o simbolismo que cada peça representa. Se isto te ofende, você tem problemas sérios.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

'Nunca vote em um religioso', afirma Padre Marcelo Rossi



Padre Marcelo Rossi se mostrou contrário a políticos religiosos (Foto: Andre Penner/AP) 
Padre Marcelo Rossi se mostrou contrário a políticos religiosos (Foto: Andre Penner/AP)


Padre Marcelo Rossi é um dos líderes religiosos mais influentes do Brasil. No país com maior número absoluto de católicos do mundo, sua opinião tem peso. E, nesta segunda-feira (20), Marcelo Rossi falou sobre política.

Em entrevista ao portal Terra, o padre comentou diversos temas. Foi questionado sobre sua recente - e comentada - alteração de peso, a luta contra a depressão e também sobre política.

Quando o assunto foi a presença de políticos que baseiam sua propostas no viés religioso, Marcelo Rossi se mostrou completamente contra à prática.

"Eu sou totalmente contra, seja padre ou pastor. Está errado. Ou você é um líder religioso, ou você é um líder político. Pode colocar minhas palavras: "Nunca vote em nenhuma pessoa religiosa". A Igreja Católica viveu isso, a união de Estado, política e religião. Foi a pior fase. Pode ver que a Igreja Católica é a única que não tem candidato. Ela pode até dizer que gosta, mas nunca indica. Eu tenho medo. A pior coisa é fanático. Fuja dessas pessoas, que são as mais perigosas e as que se corrompem mais facilmente", comentou.


terça-feira, 14 de outubro de 2014

"O nome disso é marketing", diz Malafaia sobre documento do Vaticano

Texto elaborado em assembleia geral de bispos defende atitudes de aceitação em relação a homossexuais e divorciados

<p> O pastgor Silas Malafaia: críticas ao Templo de Salomão</p>


    O pastor Silas Malafaia: críticas ao Templo de Salomão (Foto: Ernani D'Almeida)
14.out.2014 por VEJA SÃO PAULO

Bispos da Igreja Católica do mundo inteiro divulgaram na segunda-feira (13) um documento com as discussões que permearam a Assembleia-Geral Extraordinária do Sínodo, que acontece no Vaticano nesta semana. O texto surpreendeu ao adotar uma postura mais aberta a fieis homossexuais e que fazem parte de famílias que não seguem as doutrinas católicas, como divorciados, ou que estão em uniões informais. Pastor da Assembleia de Deus e conhecido por embates com ativistas dos direitos LGBT, Silas Malafaia diz que o documento é "apenas para fazer média."

"Não vi nenhuma relação ou apoio aos homossexuais. Mas a imprensa tem uma abertura fenomenal para tudo que é favor do ativismo gay. O nome disso é marketing", afirma. O pastor é conhecido por se expressar contra o casamento gay, e ficou no centro do debate das eleições presidenciais quando ameaçou fazer um twittaço contra o programa de governo da candidata Marina Silva (PSB). Um dia após as ameaças, o programa de Marina foi modificado e propostas sobre casamento civil igualitário retiradas. A campanha afirmou que houve um erro de editoração.
No documento do Vaticano, a doutrina católica permanece inalterada e reitera-se que as uniões homossexuais não podem ser equiparadas ao casamento. Mas o texto diz que é preciso aceitar e valorizar a orientação sexual e que "pessoas homossexuais têm dons e qualidades que podem oferecer à comunidade cristã".

Para Malafaia, essa posição não difere da atitude já adotada pelas igrejas que "julgam o pecado, não o pecador". "Nunca vi a igreja de Cristo ser maleável com pecado. Pecado não tem a ver com época ou conjunto social, é uma norma do cristianismo, não tem como negociar."

O pastor ainda fez questão de lançar um desafio: "Eu faço um desafio ao papa ou a qualquer representante da igreja: quero que diga se a prática homossexual é pecaminosa, condenada pela Bíblia. Se ele disser que não, então pode mudar de nome, porque não será uma igreja cristã. Se disserem isso, pode mandar rasgar a Bíblia e inventar um novo livro para eles, pois serão hereges."

Veja
 

Homossexuais têm 'dons e qualidades a oferecer', diz texto.

Documento do Vaticano defende mudança da Igreja em relação a gays





Documento foi preparado após uma semana de discussões com 200 bispos.

Bispos em reunião matinal do sínodo da família, no Vaticano, nesta segunda-feira (13) (Foto: Gregorio Borgia/AP) 
Bispos em reunião matinal do sínodo da família, no Vaticano, nesta segunda-feira (13) (Foto: Gregorio Borgia/AP)
Numa grande mudança de tom, um documento do Vaticano declarou nesta segunda-feira (13) que os homossexuais têm “dons e qualidades a oferecer” e indagou se o catolicismo pode aceitar os gays e reconhecer aspectos positivos de casais do mesmo sexo.
O documento, preparado após uma semana de discussões sobre temas relacionados à família no sínodo que reuniu 200 bispos, disse que a Igreja deveria aceitar o desafio de encontrar “um espaço fraternal” para os homossexuais sem abdicar da doutrina católica sobre família e matrimônio.
Embora o texto não assinale nenhuma mudança na condenação da igreja aos atos homossexuais ou em sua oposição ao casamento gay, usa uma linguagem menos condenatória e mais compassiva que comunicados anteriores do Vaticano, sob o comando de outros papas.
A declaração será a base das conversas da segunda e última semana da assembleia, convocada pelo papa Francisco. Também servirá para aprofundar a reflexão entre católicos de todo o mundo antes de um segundo e definitivo sínodo no ano que vem.
"Os homossexuais têm dons e qualidades a oferecer à comunidade cristã: seremos capazes de acolher essas pessoas, garantindo a elas um espaço maior em nossas comunidades? Muitas vezes elas desejam encontrar uma igreja que ofereça um lar acolhedor”, afirma o documento, conhecido pelo nome latino de “relatio”.
“Serão nossas comunidades capazes de proporcionar isso, aceitando e valorizando sua orientação sexual, sem fazer concessões na doutrina católica sobre família e matrimônio?”, indagou.
John Thavis, vaticanista e autor do bem-sucedido livro “Os Diários do Vaticano”, classificou o comunicado como “um terremoto” na atitude da Igreja em relação aos gays.
“O documento reflete claramente o desejo do papa Francisco de adotar uma abordagem pastoral mais clemente no tocante ao casamento e aos temas da família”, disse.
Vários participantes na reunião a portas fechadas afirmaram que a Igreja deveria amenizar sua linguagem condenatória em referência aos casais gays e evitar frases como “intrinsecamente desordenados” ao falar sobre os homossexuais.
Essa foi a frase usada pelo ex-papa Bento 16 em um documento escrito antes de sua eleição, quando ainda era o cardeal Joseph Ratzinger e chefe da Congregação para a Doutrina da Fé.
G1