quarta-feira, 15 de setembro de 2010

O "CARIDOSO" ESPÍRITO QUE SE MANIFESTA COMO "DOUTOR FRITZ" MATA TODOS OS SEUS MÉDIUNS DE FORMA VIOLENTA



Por Jefferson Magno Costa

Em 1987, eu trabalhava como jornalista no jornal Mensageiro da Paz, órgão oficial das Assembléias de Deus no Brasil. Em setembro daquele ano, publiquei naquele jornal a seguinte matéria: “Dr. Fritz mata seu segundo médium de forma trágica”.

Nosso objetivo naquela ocasião foi mostrar ao povo brasileiro a verdadeira natureza (demoníaca, maligna) do espírito do suposto médico alemão chamado Adolf Fritz. Ele costuma “encerrar” suas parcerias de trabalhos mediúnicos sempre de forma violenta, matando tragicamente seus “cavalos” – as pessoas nas quais ele incorpora para realizar cirurgias mediúnicas ou dar consultas aos doentes.

Naquela ocasião, eu contabilizei dois médiuns mortos violentamente por esse “caridoso espírito”. Hoje, esse número mais do que dobrou, e continua a crescer. Naquela época ainda faltavam morrer tragicamente outros médiuns famosos que incorporaram o “caridoso espírito do doutor Fritz: o médium pernambucano Edison Queiroz (assassinado a facadas em 1991, em Recife, pelo seu caseiro), o médium baiano Edivaldo de Oliveira Silva (conhecido com Edivaldo Wilde; morreu tragicamente em acidente de carro), e o médium Oscar Wilde (irmão e sucessor de Edivaldo nas cirurgias e consultas mediúnicas; também morreu tragicamente de desastre de automóvel).

Há outros nomes de médiuns na lista de execução do “bondoso” doutor Fritz, médiuns que o têm incorporado ou o incorporam atualmente: O engenheiro eletrônico Rubens Farias Júnior, do Rio de Janeiro; a médium Aylla Harard, que tem atuado nas cidades paulistas de Caçapava e Guaratinguetá; Kleber Aran Ferreira da Silva, de Minas Gerais (com medo de também morrer tragicamente, ele fugiu durante um ano dos assédios do doutor Fritz; mas o espírito terminou por vencê-lo pelo cansaço); Francisco Monteiro, também de Minas Gerais; João Teixeira de Faria, de Goiás (o “João de Deus”); e Maurício Magalhães, de Santa Catarina. Eles que se cuidem, e procurem ter um encontro de salvação com alguém que é infinitamente superior e mais poderoso que o doutor Fritz, o único que pode tansformar o furioso doutor Fritz num inofensivo e obediente Recruta Zero: Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Devido ao fato de ela conter elementos importantíssimos de esclarecimento e alerta, e as informações contidas nela serem 100% válidas e necessárias ao atual momento que o Brasil está atravessando, onde vemos milhares de pessoas sendo influenciadas pelos filmes e livros sobre Chico Xavier, reproduzirei a seguir a citada matéria que publiquei em 1987, no jornal Mensageiro da Paz.

“Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios da mentira, e com todo engano da injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos”, 2 Tessalonicenses 2.9, 10.

Creio que chegou o momento oportuno de esclarecermos alguns detalhes importantes sobre a verdadeira natureza das “entidades” que se manifestam em muitas regiões do Brasil, onde o curandeirismo e as cirurgias mediúnicas são praticados. Incorporados em indivíduos que se dizem médiuns, essas entidades se identificam como espíritos de pessoas falecidas, e insistem em atuar entre os vivos (usando o corpo dos médiuns), sob a alegação de que pretendem praticar caridade.

A mais conhecida forma desses espíritos fingirem que praticam o bem é realizando curas. O mais famoso desses espíritos (veremos adiante que eles são espíritos, mas não de pessoas falecidas) que incorporam em médiuns curandeiros tem-se identificado no Brasil como doutor Adolf Fritz – um médico alemão que teria falecido durante a Primeira Guerra Mundial, apesar de, até hoje, ninguém ter apresentado provas concretas, documentadas, de que esse doutor Fritz realmente existiu.

Porém, se existiu, jamais voltaria a se manifestar, pois “aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto, o juízo” (Hebreus 9.27). Quem deu esta ordem, quem estabeleceu esta lei para os espíritos foi o próprio Deus, o Soberano, o Senhor do Céu e da Terra, o Senhor dos homens e dos espíritos. O Universo não é “casa de sogra” de espíritos. Deus não permite que eles fiquem vagabundeando por aí, incorporando em quem quiserem, ou reencarnando na época ou na hora que bem entenderem. O nosso Deus, o Deus dos cristãos, mantém o mundo espiritual sob seu controle, e TODOS os espíritos das pessoas que já morreram estão ou aguardando a condenação eterna, ou a salvação eterna. Isto quem ensinou foi Jesus Cristo, nosso Salvador e Deus: “Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação.” João 5.28,29.

Não foi nenhum Allan Kardec ou Chico Xavier que ensinou isso. E que autoridade Kardec ou Chico tiveram no que diz respeito a assuntos de eternidade, salvação, evolução espiritual, planos inferior ou superior dos espíritos? Por acaso algum dos dois foi crucificado em uma sexta-feira e ressuscitou no domingo? Pois Jesus sim. (João 19.17-20.31). Por acaso algum dos dois conheceu ou esteve no Céu, e esteve pessoalmente no mundo espiritual para ter autoridade e confiabilidade suficientes para escrever o que escreveram sobre o mundo espiritual? Pois Jesus sim: “Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho” (João 3.11).

Jesus subiu ao céu após haver descido dele e vivido entre nós, ensinando-nos tudo o que importava sabermos sobre a nossa salvação. E após nos redimir com sua morte na cruz do Calvário, resssuscitou e voltou para o Céu, onde intercede por nós. Não tem essa de reencarnação não. Jesus foi testemunha ocular no céu de tudo o que ensinou na terra, e subiu outra vez para o céu, onde está presentemente: “Ora ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu” (João 3.13).

TIRANDO A MÁSCARA DOS ESPÍRITOS

Antes de revelarmos a verdadeira natureza do espírito que se identifica com doutor Fritz, reconsideremos alguns detalhes que envolvem essas “curas mediúnicas” e o relacionamento que os “espíritos” têm com os médiuns, seus “cavalos”. Jesus nos ensinou que é pelo fruto que se conhece a árvore (Mateus 12.33). Portanto, vejamos que frutos tem produzido o doutor Fritz.

Não levaremos em conta alguns recursos dos quais lançam mão muitos médiuns curandeiros, como as cirurgias forjadas, as incisões encenadas, e o uso de sangue de pombos ou de galinhas (em substituição do sangue humano, durante as supostas cirurgias); não levaremos em conta aqui as técnicas que produzem ilusionismo e a auto-sugestão dos pacientes doentes que recorrem aos curandeiros – poderíamos apresentar dezenas de casos denunciados pela imprensa –. Mas o fato é que as atuações sobrenaturais da autoria do doutor Fritz têm deixado um saldo negativo no bolso, na saúde e na vida espiritual de todas as pessoas que se submetem a essas práticas.

Tanto o doutor Fritz como as demais entidades do Além que se manifestam nas seções de cura promovidas pelo espiritismo, seja ele kardecista, de umbanda ou de qualquer outra tendência, não são espíritos de pessoas falecidas, e sim demônios, espíritos das trevas, seres que fingem praticar o bem, mas na verdade o saldo de suas obras resulta em danos espirituais e mentais, em chantagens e ameaças, em obrigações cada vez maiores às pessoas que se submetem a essas entidades, pois o diabo veio para “matar, roubar e destruir”, João 10.10.

Além dessas cirurgias serem muito suspeitas, o seu resultado é muito questionável. Sabe-se que em muitos casos, essas supostas curas têm uma certa validade, ou seja: a pessoa que sai de uma dessas sessões acreditando ter sido curada, não demorará muito a descobrir, algum tempo depois, que continua com a doença. Além do mais, muitas dessas doenças são causadas pelos próprios demônios; através desse ardil, eles criam a necessidade de as pessoas portadoras de doenças malignas procurarem os curandeiros, os “cavalos” desses demônios, e ali serem alcançadas pela aparente dádiva da cura – início de todo um ciclo de dependências, chantagens, ameaças, obrigações e sujeição a esses demônios, que se dizem “médicos do Espaço”.

COMO O DOUTOR FRITZ PAGA AOS SEUS "FUNCIONÁRIOS"

Para desmascarar de uma vez por todas a verdadeira natureza desse demônio que se apresenta como doutor Adolf Fritz, basta mostrarmos como o doutor Fritz trata os seus “cavalos”. O mineiro Zé Arigó (seu verdadeiro nome era José Pedro de Freitas) foi o mais famoso entre os médiuns que incorporaram o suposto espírito do médico alemão. No início dos anos 60, Arigó, morador da cidade mineira de Congonhas, era um modesto funcionário do antigo IAPTEC, e seu salário mal dava para alimentar a esposa e os cinco filhos. Porém, após ter sido arrastado pelo espírito que se apresenta com doutor Fritz (através de chantagens, ameaças e sugestões de suicídio) para a prática do curandeirismo, o obscuro funcionário transformou-se no famoso Zé Arigó.

Dez anos depois, Arigó era um homem rico. O inventário completo de toda a sua fortuna foi publicado no jornal paulista Folha da Tarde, de 25 de março de 1971. Nesse espaço de tempo, Arigó foi preso duas vezes por exercer ilegalmente a medicina, e foi avisado pelo próprio doutor Fritz que todos os seus “cavalos” (os médiuns que trabalham para o “caridoso” doutor) morreriam de maneira trágica, violenta. Ora, se fosse realmente uma “entidade de luz”, um “espírito caridoso”, o doutor Fritz negociaria no plano superior um destino melhor para seus parceiros de mediunidade. Porém, sendo um demônio disfarçado, o salário que dará aos que trabalham com ele é a destruição, e a condição de réus do fogo do inferno, pois o próprio Jesus avisou que o diabo vem sempre para matar, roubar e destruir, e o seu salário é a destruição e a morte, João 10.10.

ZÉ ARIGÓ: A MORTE NA BR-3

No dia 11 de janeiro de 1971, quando se dirigia de Congonhas para Conselheiro Lafaiete (cidades mineiras), onde possuía um belo sítio, Zé Arigó morreu tragicamente em um acidente automobilístico. O opala em que viajava ficou totalmente destruído. A revista Manchete daquele mês (número 980, de 30/01/1971), fez o seguinte comentário: “O homem que ficou famoso mundialmente por seus poderes mediúnicos não recebeu qualquer mensagem do além no começo da tarde de segunda-feira, 11 de janeiro, quando seu carro foi destroçado em um acidente automobilístico. O místico que apontava cura para milhares de doentes não pôde sequer ser levado com vida para o hospital.” O “caridoso” doutor Fritz não deu nenhuma chance a Zé Arigó.

JULIMAR: ESTRAÇALHADO POR UMA CARRETA

O segundo “cavalo” do doutor Fritz a receber o pagamento de todos os serviços prestados a esse demônio foi o famoso “pai de santo” Julimar Pereira de Souza.

Horas antes de ser partido ao meio por uma carreta, Julimar, incorporado (possesso) do doutor Fritz, havia realizado cinco operações cirúrgicas. Quando voltava para casa em companhia de seu irmão, o curandeiro resolveu parar o carro no acostamento para urinar. Ao retornar ao carro, mal teve tempo de abrir a porta: uma carreta entrou velozmente no acostamento, colheu o médium violentamente, dividiu seu corpo ao meio e o atirou a dez metros de distância. O doutor Fritz sequer tivera a gentileza de recomendar que o médium tomasse cuidado ao retornar para casa naquela noite. Atualmente, o mais famoso “cavalo” do doutor Fritz, no Brasil, é o médium pernambucano Édson Queirós. Ele que se cuide. (Escrevi isto em 1987. Em 1991, o médium Édson Queiroz, que também incorporava o doutor Fritz, foi morto a facadas pelo seu caseiro).

ALLAN KARDEC REVELA A VERDADEIRA IDENTIDADE DOS ESPÍRITOS

Ora, outra coisa não era de se esperar desse doutor Fritz e de todos os outros espíritos (que não são outra coisa senão demônios) que atuam no espiritismo, descritos pelo próprio Kardec com tanta riqueza de detalhes, que só quem tem parte com eles e os conhece tão de perto, poderia apresentar uma tão completa descrição da personalidade desses seres evocados nas sessões espíritas. No Livro dos Espíritos (Federação Espírita Brasileira. Rio de Janeiro. 1985. p. 87), Kardec confessa a existência de espíritos "inclinados ao mal, de que fazem objeto de sua preocupação. Como espíritos, dão conselhos pérfidos, sopram a discórdia e a desconfiança, e se mascaram de todas as maneiras, para melhor enganar”.

Note bem, caro leitor: quem reconheceu e confessou tudo isto não foram os pastores Silas Malafaia ou Jefferson Magno Costa, e sim o próprio Allan Kardec! E tem mais: Além de estarem sujeitos a esses espíritos malignos, Kardec confessa que aqueles que freqüentam sessões espíritas ou se envolvem com qualquer forma de espiritismo, estão também sujeitos à ação de espíritos levianos [que podem forjar cirurgias mediúnicas, enviar cartinhas sentimentais do Além em nome de pessoas que já morreram, imitar a assinatura ou a voz do morto, etc.]. É o próprio Kardec quem nos revela a verdadeira identidade desses espíritos: “São ignorantes, maliciosos, irrefletidos e zombeteiros. Metem-se em tudo, a tudo respondem, sem se incomodarem com a verdade. Gostam de causar pequenos desgostos e pequenas alegrias, de intrigar, de induzir maldosamente ao erro, por meio de mistificações e espertezas. A essa classe pertencem os espíritos vulgarmente tratados de duendes, trasgos, gnomos, diabretes. Acham-se sob a dependência de espíritos superiores, que muitas vezes os empregam, como fazemos com os nossos servidores.”

“PELOS SEUS FRUTOS OS CONHECEREIS”

Atente bem o leitor para esta importante declaração de Kardec: esses “espíritos levianos” estão sob a dependência dos “espíritos superiores” ("espíritos superiores" são aqueles que os doutrinadores do espiritismo dizem ser bonzinhos, orientadores, praticantes de caridade), e podem ser usados (os “inferiores” pelos “superiores”) em situações diversas. Ora, isto nos leva a concluir que esses espíritos são amigos, companheiros de atividades, e suas ações se igualam em seus efeitos.

Doutor Fritz e os demais “espíritos” que se manifestam em todos os ambientes onde são convidados a se manifestarem, não passam de impostores, de demônios, de seres malignos, de enganadores da humanidade, e jamais espíritos de pessoas que já morreram, pois para enganar e levar para o inferno os seres humanos, “o próprio Satanás se transforma em anjo de luz”, 2º. Coríntios 11.14

Jamais devemos esquecer que em todos os assuntos que dizem respeito ao espiritismo, e para esclarecermos as pessoas bem intecionadas, crédulas e carentes que buscam algum socorro espiritual no espiritismo, teremos que enfrentar esses espíritos e suas mentiras, e que nesse trabalho de evangelismo “não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”, Efésios 6.12.



7 comentários:

Anônimo disse...

hauhauhua ignorante..... nos vamos vencer...estamos vencendo...hauhuhahua

Micheline Gomes disse...

Será que a ignorância não está em que não mostra a cara para falarmos com respeito das coisas relacionadas ao antagonismo da fé?
Pobre Anônimo. Não vou rir de você, apenas peço a Deus misericórdia por tua alma!

Anônimo disse...

no minimo voce deve ser algum crente de alguma dessas igrejas fanaticas..
pois tudo que esta ligado ao espiritismo e a umbanda e outras,para vcs e coisa do diabo...
espiritos bons existem sim!
pois vcs preferem acreditar que tudo de ruin que acontece e coisa do demo...
mas aqui vai uma frase para vc refletir...

SE DEUS E BOM O DIABO NAO E MAU!!!

paz-no mundos disse...

minha querida amiga gostei muito em parte da sua matéria, mas vc deveria conhecer um pouco mais afundo as causas espiritas e fazer sempre sim questionamentos, mas sempre ter um lado profissional, para que assim acha uma troca de conhecimentos, e não uma distancia entre nos que somos todos irmão perante de Deus!!!! Conheça mais sobre tds as religiões para que vc possa questiona-las e não julga-las !!!Grande abraço!!!! Mildres!!!

ROMANA SAN MARTINO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Infelizmente ainda é este tipo de fanatismo e julgo, claramente encontrado nas palavras de nossa amiga blogueira, que povos estão sendo extintos na mais triste violência, tudo em nome de suas crenças egoístas. O mundo só vai melhorar quando religiões e povos se aceitarem como verdadeiros irmãos, que é o que somos na verdade, sem julgo e intolerância, fazendo o que nosso mestre maior nos ensinou: "Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo!" - Alex Jr.

Anônimo disse...

quantas asneira em minha filha!se nao acredita no espiritismo nao critique!pare de faalr de uma coisa q vc desconhece!pior e essas igrejas q vc vai q os pastor ficam enriquecendo com o dinheiro do povo e ainda por cima nao ajudam nenhum pobre!!vai la dar seu dinheiro pro pastor vai em vez de ficar falando besteira e criticando oq tu nao conhece!!!vc e uma fraca de espirito isso sim!!